MONTANHAS IBÉRICAS

Neste Blog partilho com os leitores a minha paixão pelas Montanhas Ibéricas, lugares únicos, cada vez mais raros, onde a beleza das paisagens, a preservação dos ecossistemas e a utilização sustentável pelo homem se unem de uma forma harmoniosa e equilibrada.

19 janeiro 2006

A CASA DO GALO-MONTÊS

Publicada por Paulo Almeida Santos


Retomando mais uma vez o tema da preocupante situação do galo-montês (Tetrao urogallus) em Espanha, nomeadamente no que à população cantábrica diz respeito, apresento em seguida mais um sinal positivo que demonstra a sensibilização dos cientistas e da população em geral perante a extinção eminente do Senhor dos Bosques.
Falo em concreto da edificação do "Centro del Urogallo", cujas instalações tive o privilégio de visitar no final de 2005.
Situado em Caboalles de Arriba, uma pequena aldeia mineira na vertente sul da Cordilheira Cantábrica, alberga ao mesmo tempo o Centro de Interpretação do recém-criado Espaço Natural do Alto Sil, pertencente à rede de Espaços Naturais de Castela e Leão.
Inaugurado em Agosto de 2005, conta já com um impressionante número de mais de 2500 visitantes até Dezembro de 2005.
Antes de entrarmos na exposição, sugiro que contemplem o magnífico bosque caducifólio que serve de pano de fundo ao Centro, criando uma envolvência verdadeiramente mágica!

Centro del Urogallo

Na recepção encontramos gente jovem da terra, sorridente, que descreve com entusiasmo e orgulho as várias salas de exposição que compõem o Centro.
Sugiro que a visita se inicie na sala de audiovisuais, onde é projectado um magnífico filme de 30 min, o qual retrata na perfeição os costumes e tradições das populações do Alto Sil, transportando em seguida o espectador numa viagem envolvente através dos seus bosques, em busca dos sítios mais recônditos e das espécies faunísticas mais emblemáticas.

Sala de audiovisuais

Entramos em seguida na exposição propriamente dita, a qual está dividida em 3 áreas temáticas diferentes, distribuida em outras tantas salas.
A primeira delas incide sobre a história geológica das montanhas que compõem este Espaço Natural, descrição da climatologia da região e caracterização dos acidentes orográficos mais importantes.

Sala dedicada à geologia, climatologia e orografia

A sala seguinte é dedicada aos valores etnográficos da zona, onde são retratadas com rigor práticas ancestrais das populações rurais, dando ao visitante a oportunidade de apreciar um interessante conjunto de utensílios e máquinas usados na agricultura e pastorícia.



Sala etnográfica

Por último chegamos à sala mais emblemática, dedicada por completo às joias faunísticas que povoam os bosques do Alto Sil. Aqui, como não podia deixar de ser, o galo-montês é rei! Através de um conjunto de maquetas cuidadosamente construido, são retratados todos os pormenores relativos à biologia da espécie, desde os fantásticos rituais de acasalamento dos adultos até ao nascimento das pequenas crias, passando pela caracterização e utilização do habitat mais favorável.
Entre as outras espécies visadas, destacamos pela sua importância o urso pardo, o gato-montês, a marta, o corço, o veado (entre outras), que tornam estas montanhas num espaço único que importa preservar a todo o custo.

Galo-montês retratado no seu habitat natural

Para terminar, importa referir que o "Centro del Urogallo" está aberto de Segunda a Domingo (10:00 às 13:30; 16:30 às 19:30) e a entrada é gratuita.
Mais um bom exemplo para as Áreas Protegidas Nacionais, cujos Centros de Interpretação, geridos pelas obsoletas "regalias" da Função Pública, mantêm as suas portas fechadas ao fim-de-semana, altura em que a afluência de turistas é maior...

2 comentários:

Anónimo disse...

Parabens pelo blogue. É um dever referi-lo e divulgá-lo. Octávio Lima (ondas3.blogs.sapo.pt)

Profundezas... disse...

Parabens pelo Blog. Está fantastico!